7 dicas para passar na certificação Professional Scrum Practitioner (PSP)

Nota: após a publicação deste post, a Scrum.org reestruturou seu programa de certificação transformando a PSP em PSM II… antes de avançar, recomendo a leitura deste post aqui para entender mais sobre esta reestruturação.

Olá Pessoas,

Antes de mais nada eu gostaria de agradecer o WordPress, por ceder este espaço para que a gente possa, em alto nível, discutir a gestão de projetos (e demais assuntos) no Brasil… (protocolos e blá blá blás cumpridos, vamos ao que interessa)

Recentemente fui convidado (na verdade me senti desafiado) pela Scrum.org, a testar meus conhecimentos práticos sobre Scrum, que para tanto, deveria me submeter à mais nova certificação do instituto denominada Professional Scrum Practitioner.

Esta certificação ainda não foi publicada na área de Assessments do site da Scrum.org (imagem abaixo) pois ela está em fase de experimentação. Para aqueles, porém, que desejarem conhecer mais sobre esta nova certificação, disponibilizo o link aqui (PSP).

Screen Shot 2016-02-28 at 9.59.55 PM

Ah meu Deus, mais uma certificação? Óh não!

Pois é meu caro… felizmente temos mais uma certificação disponível no mercado. E aqui me refiro de uma forma, digamos, positiva, porque a leitura que faço sobre este assunto é que certificações só agregam na carreira de um profissional. Ponto final. Muito embora este post não tem como objetivo central, a discussão sobre a utilidade das certificações, é oportuno ponderar que até hoje não conheci ninguém que se prejudicara por tê-las. Em outras palavras, se as certificações não ajudam, com certeza não atrapalham. Portanto acho prudente valorizarmos os programas de certificação, principalmente os sérios, como por exemplo os da Scrum.org e os do PMI.

Por que a Scrum.org criou a Professional Scrum Practitioner (PSP)?

A proposta desta certificação é testar os conhecimentos práticos sobre Scrum. A PSP está relacionada com a certificação PSM e a maioria das questões são situacionais exigindo, dos candidatos, que se tenha experiência e vivência com as práticas do framework.

A PSP é considerada uma certificação de nível intermediário, ficando entre a PSM I (básica) e a PSM II (avançada).

O motivo

Muitos profissionais – com vasta experiência em Scrum – que se submeteram à PSM II, relataram ser quase impossível obter êxito (pass) nesta certificação. Em fóruns da comunidade, existem vários relatos extra-oficiais apontando que a parte dissertativa da PSM II é corrigida pelo próprio Ken Schwaber (o pai da criança). Com base nisso, dá pra se ter uma ideia de como deve ser o exame… arrisco em dizer que para passar, é necessário que uma casta ultra avançada de extraterrestres abduza uns 3 ou 4 neurônios da cabeça do Schwaber, decriptografe-os, interprete-os, traduza a interpretação para o inglês, salve-a em PDF e nos mande o arquivo para que possamos nos preparar para esta exigente certificação… :mrgreen:

Nota: A dificuldade desta certificação fica evidente quando, no momento em que escrevia este post, verifiquei que haviam, no mundo, apenas 273 certificados emitidos pelo instituto.

“Bobageiras” à parte… sabendo desta grande dificuldade, a Scrum.org decidiu, como alternativa, criar e disponibilizar a certificação PSP, permitindo aos profissionais – que ainda não se sentem preparados para a PSM II e que desejam experimentar uma certificação mais exigente que a PSM I – testarem seus conhecimentos práticos sobre o framework e suas habilidades em lidar com situações do mundo real.

Fiquei curioso… como é o exame de certificação PSP? Conte-me tudo, não esconda-me nada… 🙂

Sinceramente achei o exame bem complicadinho… deparei com várias perguntas capciosas, prolixas (perguntas com 10, 11 linhas e alternativas com 5, 6 linhas cada), sendo a maioria delas situacionais exigindo que você respondesse, considerando o contexto a qual a questão estava inserida.

Detalhes do exame: 

  • Custo: US$ 250 (salgado)
  • 30 questões (múltipla escolha, múltiplas respostas, verdadeiro ou falso)
  • Pontuação para passar: 85% (26 de 30)
  • Timebox: 90 minutos
  • Idioma: Inglês
  • Não é necessário fazer treinamento
  • Recomendável passar no exame de certificação PSM I (não obrigatório)
  • Recomendável que se tenha experiência com o framework

Me convenci… quero esta certificação! – Preciso agora, das dicas amizade prometidas no título do post… :mrgreen:

Okay… vamos a elas então:

Dica nº 1 – Não se submeta a este exame se você, utilizando do bom senso, não conseguir diferenciar a teoria da prática. O que quero dizer com isso é que, em determinados contextos – quando da aplicação dos métodos ágeis – você precisará experimentar para então, empiricamente, adaptar. Neste caso, em particular, o conhecimento puro e simples das regras não lhe será suficiente para obter sucesso no exame.

Dica nº 2 – Entenda o conceito Shu Ra Hi. No exame escolha sempre a alternativa que estiver entre o Ra e o Hi. Dificilmente a alternativa correta será a que está ligada ao Shu. Mas claro, leia as questões com máxima atenção e responda-as de forma coerente.

Dica nº 3 – Pratique os Open AssessmentsScrum Open, Nexus Open, Product Owner Open e o Developer Open e obtenha 100% de acerto em todos eles. Isso garantirá relativa familiaridade com o exame PSP.

Dica nº 4 – Muito embora 3 minutos por questão não seja um tempo muito longo, este tempo é mais do que o suficiente para você ler toda a questão, ler todas as alternativas e responder com tranquilidade. Por isso mantenha a calma, analise o contexto no qual a pergunta está inserida e escolha a alternativa que apresentar a melhor solução para o problema em tela.

Dica nº 5 – Tenha em mente que o exame parte da premissa que você conhece cada vírgula do Scrum Guide e está em um nível de transcendência. Portanto saiba exatamente como o Scrum trata, por exemplo, dos custos em um projeto e tome muito cuidado com termos que o mercado, popularmente, gosta de utilizar como: “Definition of Ready” (DoR). 

Dica nº 6 – As questões do exame estão relacionadas com os seguintes temas: coaching, facilitação, auto-organização, times multidisciplinares, done/undone, maximização de valor, gestão do product backlog, Scrum escalado, regras do framework e teoria e princípios. Procure identificar quais destes temas está sendo abordado em cada uma das questões. Isso fará com que você encontre mais facilmente a alternativa correta.

Dica nº 7 – A Scrum.org recomenda que se estude estes livros aqui. Acredito, contudo, que conhecer bem o Scrum Guide, entender a importância dos 3 pilares, do empirismo e ler pelo menos o livro do Gunther, Scrum – A Pocket Guide já será suficiente para colocá-lo em uma posição favorável para fazer o exame. E claro, não se esqueça da vivência com o framework.

Enfim… se você, após ler este post, se sentiu confiante e encorajado a se submeter a esta certificação, e está certo de ter entendido as dicas e as mensagens contidas nele… dificilmente você – ao final dos 90 minutos destinados ao exame – não receberá este email da Scrum.org.

Screen Shot 2016-02-28 at 3.12.50 AM

Nota: Atualmente, como visto na imagem abaixo, existem no mundo apenas 78 pessoas certificadas PSP… para verificar a lista de certificados clique aqui

Screen Shot 2016-02-28 at 3.06.37 AM

E aí… tudo pronto? Qualquer dúvida não hesite em me escrever…

Em tempo: eu tinha mais algumas dicas para elencar no post, decidi parar na 7ª porque 7 é o meu número de sorte e quero que esta sorte lhe seja tranferida… 🙂

Saudações. Ψ

7 comentários em “7 dicas para passar na certificação Professional Scrum Practitioner (PSP)

  1. Mais um ótimo artigo Pedrão! Me tirou mais algumas dúvidas sobre a certificação. Espero também que a sorte seja repassada à nós rs. Abraço!

    Curtir

  2. Muito obrigado Leonardo… esta semana a Scrum.org anunciou algumas mudanças nas certificações PSM, estou terminando um post sobre este assunto e publicarei em breve. Abraços e boa sorte com suas certificacoes!

    Curtir

  3. Pingback: Entenda a reestruturação na família de certificação Professional Scrum Master (PSM) da Scrum.org | Café com o Scrum Master

  4. Pedro, boa tarde.

    Estou estudando para esta prova e peço sua ajuda em duas questões:

    1 – O Dono de Produto ordenou o backlog pelo valor de cada item do backlog, assim, entregaria o maior ROI possivel de forma antecipada. Porém, o desenvolvimento de alguns itens prioritários dependem de componentes externos que ainda não estão prontos. Se você fosse o Scrum Master, pediria para o Dono de Produto re-ordenar o backlog do produto deixando os itens sem depencia externa com valor mais alto para otimzar o trabalho do time de desenvolvimento? Ou diria a ele que estas coisas sào normais e que o backlog precisa estar ordenado sempre pelo valor de negócio, não importando se há dependencias para desenvolvimento (neste caso durante a reunião de planning o time selecionaria os itens imediatamente abaixo dos itens que possuem dependencia)?

    2 – Você é o Scrum Master de um time novo, com 8 integrantes, que está três meses trabalhando juntos. Estão todos conseguindo boa performance. Agora a gerencia decidiu acelerar o desenvolvimento e contratou mais 3 pessoas.
    Como Scrum Master você orienta o time a se dividir em duas equipes, porque tem 11 pessoas, 3 acima do limte máximo. O time acha que isso pode trazer algumas complicações e complexidades a respeito da integração dos times e não sabe ao certo o que fazer, mas tende a querer ter um time só, com 11 pessoas.

    Como Scrum Master, o que você faria? Deixaria este time trabalhar com 11 pessoas e depois de algumas sprints conversaria para saber se eles desejam ficar assim ou se dividir? Ou “bateria” o pé e seria duro nas regras do scrum, afirmando que o time só pode ter no máximo 9 pessoas e que no futuro eles entenderiam o porque?

    abraço,

    Carlos

    Curtido por 1 pessoa

  5. Oi Carlos,

    Não sei se você está sabendo… mas a Scrum.org descontinuou esta certificação. Escrevi recentemente um post falando sobre isso (link no final do comentário). Vamos aos esclarecimentos:

    1 – Um Product Owner deve sempre ordenar e reordenar os PBIs com base no valor de negócio e na viabilidade técnica, pois é o PO o responsável por maximizar o ROI e o trabalho do Time de Desenvolvimento.

    2 – Scrum é fundamentado no empirismo… portanto, somente o empirismo dirá qual é o tamanho ideal do Time em um determinado contexto. Lembre-se, seguir as regras é para quem está iniciando com o framework. Trecho extraído do Scrum Guide: “O tamanho ideal do Time de Desenvolvimento é pequeno o suficiente para se manter ágil e grande o suficiente para completar uma parcela significativa do trabalho dentro dos limites da Sprint.” – (Schwaber, 2016)

    Espero ter ajudado!

    Abraços e boa sorte!

    https://cafecomscrum.com/2016/07/30/entenda-a-reestruturacao-na-familia-de-certificacao-professional-scrum-master-da-scrum-org/

    Curtir

    • Pedro, obrigado pelo rápida resposta!

      Não sei se ficou claro para mim, mas:

      1 – Então você pediria para o Dono do Produto re-ordenar os itens do backlog do produto para baixo? E aí assim que os componentes fossem entregues, você pediria que ele reordenasse os itens para cima?
      Qual a diferença entre deixar os itens ordenados por valor de negócio e na reunião de planning selecionar os imediatamente abaixo destes que estão sem nenhuma dependencia?

      2 – Você responderia isso numa prova da Scrum.org? Pergunto isso porque já li várias entrevistas do Ken falando que se alguem não seguir uma regra do Scrum, então está fazendo ScrumBut! E no Scrum Guide fala de no mínimo 3 e no máximo 9! Na prática você está certo, mas responderia isso num exame de certificação da Scrum.Org, onde o Ken fala muito que as regras do Scrum precisam ser cumpridas senão você está fazendo ScrumBut?

      abraço,

      Carlos

      Curtido por 1 pessoa

      • Carlos,

        1 – Se existem dependências externas nos PBIs priorizados, o PO precisa reordenar os PBIs de modo que os de maior valor, que não tenham dependências, sejam feitos primeiro.

        Refinamentos servem para reordenar os PBIs que são dependentes… na Planning os PBIs já devem estar priorizados e de acordo com o conceito INVEST.

        2 – Depende do exame… na PSM I por exemplo, você deve escolher as alternativas que estiver de acordo com a regra. Na PSM II (antiga PSP) e PSM III, você deve analisar o contexto no qual a questão está inserida e escolher a resposta mais adequada. Lembre-se, os exames de nível II da Scrum.org são mais elaborados e exigem que você tenha certa vivência com o framework. O Guide recomenda um time de no mínimo 3 e no máximo 9… recomenda!

        Abraços!

        Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: